segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

E eu nunca gostei de abóboras!

Foi em um blog-Day da Little Poney. Ela falava super bem do seu blog, e eu fiquei com vontade de conhecer também. O nome era super fofo. Eu odeio abóboras, e passei anos da minha infância tendo ânsia só de ouvir essa palavra. Mas desde que descobri que em inglês era “pumpkin”, eu passei a achar fofinho. E então, eu acho que essa foi a primeira coisa que eu pensei sobre você: “Pumpkin. Dizem que é abóbora. Mas é fofo demais”.

Comecei a ler seu blog, e quando vi, tinha lido ele inteiro. Posts enormes. Bem do estilo que eu gosto. Enormes daquele jeito que você não tem vontade de chegar ao fim, de tão gostosa que é a leitura. Eu comecei a comentar alucinadamente, e tinha certeza que você nunca ia me dar bola, afinal de contas, eu seria só mais uma pirralha, e você, uma diva independente, de 30 anos, que mora sozinha e escreve 10 posts sobre o mesmo assunto sem cansar ninguém.

Ainda lembro do seu primeiro comentário no meu blog. Fiquei feliz da vida. Mal sabia eu que, futuramente, você faria um dos comentários mais lindos que meu blog já recebeu!

Não lembro como você apareceu no meu msn. Não lembro quem de nós se adicionou, e muito menos por que, mas lembro que você apareceu lá, falou poucas coisas e se retirou dizendo que ia assistir “Esquadrão da Moda”. Nunca ia imaginar que essa teria sido somente a primeira conversa, de muitas.

Gosto de descrever nossa amizade com uma frase que minha amiga inventou, e eu acho brilhante: “Me lembro bem do momento em que nos conhecemos, mas não me lembro quando foi que você se tornou essencial”, porque a linha que separa tudo é tão tênue. Éramos desconhecidas, e de repente, eu confiava tanto em você, que nem era mais capaz de explicar.

Freud deve ser, quem sabe. Eu sei que você é uma amiga muito, muito especial, e que sabe disso. É minha amiga de 30 anos. Aquela que para pra pensar e dar conselhos (e broncas) com aquele ar leve de quem já viveu e sabe da verdade das coisas. Aquela que adora me ver saltitando em auroras, mas sabiamente, nunca me deixa esquecer de ter um fiozinho que me prenda ao chão, afinal de contas, já aprendeu que se a gente voa demais, o tombo pode ser bem mais dolorido.

Você é aquela que finge que é uma pessoa não-amor, mas é amor purinho. No fim das contas, você é exatamente aquilo que foi a primeira coisa que pensei: Dizem que é abóbora. Mas é fofo demais.

Renata, hoje eu vou desejar apenas um “feliz aniversário”, porque isso é tudo aquilo que eu só posso desejar no dia 26 de dezembro. O resto, tipo, felicidades, sucesso, realizações, paz, amor e saúde, eu desejo pra você em todos, todos os outros dias. E você sabe.

Parabéns, minha amiga querida, pelos seus 32! E obrigada por tudo, sempre!

11 comentários:

  1. Boa tarde.
    Desculpa o incomodo, mas venho hoje pedir que olhe com carinho meu blog de resenhas literárias, o O Leitor.
    Se puder fazer parte, agradecemos.

    Obrigada e uma ótima segunda-feira. Beijos,

    Pamela.

    ResponderExcluir
  2. ''Você é aquela que finge que é uma pessoa não-amor, mas é amor purinho. No fim das contas, você é exatamente aquilo que foi a primeira coisa que pensei: Dizem que é abóbora. Mas é fofo demais.''

    LINDO!

    ResponderExcluir
  3. Xuxu, eu não sei se eu choro por esse post, ou pelo do seu avô. Fico insuportavelmente sentimental nesta época de ano novo.

    beijocaaa e até ano que vem

    ResponderExcluir
  4. Ana, que habilidade é essa de sair catando palavras p/ formar textos tão cheios de sentimentos? Gosto muito de ler o que você escreve. É como se eu pudesse ver cada palavrinha saindo do seu coração.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oooooooooooooooun! Morri de amores :3
    Fiquei com vontade de abraçar vocês duas até sufocar!

    Sem mais.

    PS: Ah, sim! Parabéns pra Renata, né! :D

    ResponderExcluir
  6. Que linda homenagem!!! Parabéns pra Renata!!

    ResponderExcluir
  7. Que fofa ! Difícil alguém desejar um feliz aniversário melhor que esse.Você escreve com todas as suas emoções transbordando pelas palavras,pude perceber isso bem rapidinho.

    1bj

    ResponderExcluir
  8. Que forma mais original e linda de felicitar alguém. Parabéns para a Renata, então.

    ResponderExcluir
  9. Oi Analu, essa sua forma de escrever sobre uma amizade assim é tão lindo, lembrou-me uma amizade que tenho dentro do meu coração.. parabens

    ResponderExcluir
  10. MINHA LINDA MAIS LINDA DO UNIVERSO TODOOOOO

    Demorei, mas cheguei. Que fique claro que eu recebi seu tweet falando sobre o post no meio do cinema e fiquei querendo que o filme acabasse logo (e olha que o Bon Jovi estava cantando!!) pra poder ler logo. Saí do cinema cambaleando e lendo enquanto andava suas linhas cheias de amor e comentando aos berros no meio do shopping mais chique de São Paulo (que mesmo sendo a primeira vez que eu pisava lá, não quis ver as vitrines - preferi ler seu post). Li suas linhas lindas e cheias de carinho enquanto eu comia de maneira glutônica uma nhá benta da kopenhagen. Rápido, porque tinha gente me esperando em casa. Já no carro, cheia de orgulho, larguei o iphone na mão da Pri "leia que linda que é a Analu". Ela, sem conseguir ler no carro em movimento, passou o olho e exclamamos várias vezes durante um trajeto em que eu me perdia pela cidade o quão fofa é você.

    Conclusão: mesmo ausente, você esteve presente ontem na minha vida. Não só pelas linhas fofas que escreveu a meu respeito, por todo esse carinho que você deixa transparecer todos os dias mas também pela presença constante que você tem na minha vida. Eu sei, sem que você precise falar, que ontem você podia estar na casa da vovó, nas férias dos seus sonhos, no calor da piscina, nos moranguinhos maravilhosos. Você pode estar aí no seu maior momento de plena felicidade, longe de mim muitos quilômetros. Mas eu tenho certeza que você pensou em mim. Tenho certeza que torceu para que eu estivesse feliz e que tudo estivesse dando certo. TENHO CERTEZA que você também quis estar aqui comigo, no meio da bagunça. Tenho certeza que o dia inteiro, sempre que dava um espacinho, você lembrou de mim e passou o dia esperando que eu respondesse seu post lindo de homenagem. O primeiro que eu ganhei nessa vida.

    Minha linda, ontem não deu. Mas assim como eu sei que você entende que, se não deu, foi porque eu estive feliz. Estive aproveitando a vida, na real, como tem que ser. Sei que você sabe que apesar de eu não ter respondido ontem, quando me mandou aquele sms choramingando a minha ausência no seu blog, você entendeu que eu li, AMEI e só me faltava tempo pra vir aqui, mas que uma hora eu viria e responderia à altura.

    Eu sei que você sabe que eu tardo, mas não falho. Assim como eu sei que, não só ontem, mas em todos os dias da sua vida, sempre há espaço pra mim. Nas alegrias e nas tristezas. Nas horas que você está feliz, quer compartilhar comigo, nem que seja em segundinhos via sms. Nas horas que está triste, quer compartilhar comigo. E isso TAMBÉM é uma das coisas que eu mais gosto de você. Sua sinceridade, sua transparência. É ler um texto lindo desses e saber que tudo que está escrito é a mais completa verdade, é tudo que passa exatamente aí dentro desse seu coraçãozinho saltitante.

    Eu só tenho a agradecer você, querida. Por tudo. Por ter tornado meu ano mais feliz. Por ter feito, todos os dias, com que eu me sentisse mais amada. E tudo o que eu posso desejar, para meus 32 anos de vida, é que você continue fazendo parte de tudo. Mesmo aí tão longe. Mesmo aí com tantas coisas pra fazer. Quero continuar tendo espaço na sua vida e no seu coração, nesse seu jeitinho de encaixar tudo e amar todos que você tem.

    Obrigada por tudo, sua linda. Pelo presente, pelas mensagens, pelo carinho, por compartilhar da vida, POR SER AMIGA. Eu amo você. SEMPRE. <3

    Beijo :~

    ResponderExcluir
  11. Sério, na primeira linha do seu texto, eu já tinha descoberto para quem era homenagem: nossa diva Renata.Que lindo seu texto! Renata merece.

    ResponderExcluir