quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Sobre o que é ser para sempre.

“Sempre: Advérbio de tempo”, bradariam os gramáticos se eles tivessem sido convidados a pitaquear no meu post. “Sempre: Advérbio de intensidade”, brado eu, na minha humilde insignificância.

Sim. De intensidade. Gente, SEMPRE é tempo demais. Portanto, é uma quantidade de tempo que nem existe, venhamos e convenhamos. Por isso as pessoas tem mania de dizer por aí que “O pra sempre sempre acaba” e transformar em uma das grandes leis do Universo. Não, gente. O pra sempre não acaba, porque ele é pra sempre. Acontece que vocês encaram tudo da forma errada, e aqui quem fala é Ana Luísa, a dona da verdade Universal, porque aqui no meu blog apito eu. Mas eu vou me justificar. Prossigam na leitura.

Repito: SEMPRE não é tempo. É intensidade. E é por isso que quem diz que ama para sempre não está mentindo. Ninguém tem como prometer que vai amar por 1 ano ou 10. E isso não é falta de romantismo, porque, gente, eu sou a última das românticas. Isso é só uma dose de realidade. Uma coisa é certa: Nunca sabemos o dia de amanhã. Um belo dia você pode acordar e descobrir que está casada com um assassino em potencial, ou pode descobrir que seu namorado fica com chulé em todas as primeiras quinta-feiras do mês, e simplesmente não amar mais. E não, eu não estou aqui para problematizar amor, porque amor é complicado demais. Estou aqui para falar de SEMPRE, o advérbio. De Intensidade.

Porque quando se ama PARA SEMPRE não se ama por 5 minutos, nem por 100 anos. Simplesmente se ama o máximo que se pode amar. Se ama aquele amor de explodir o peito. Se ama TANTO, que somente amar não é o bastante. Se ama para sempre! Naquele momento. Mas para sempre. Vinícius já disse, afinal: “Que seja eterno enquanto dure”. Porque é isso, gente. Ser eterno enquanto durar é intensidade pura. É amar tanto que o amor não cabe em 1 dia, nem em 2, precisa ser pra sempre pra caber. Mas isso não significa que no dia seguinte ele não tenha desaparecido. Eu juro que não vim até aqui para pregar a bipolaridade no amor, viu? Deus me livre. Eu também sonho com um amor pra vida toda. Só estou querendo dizer que o pobre do PARA SEMPRE não significa exatamente o que as pessoas acham que ele significa.

Sendo assim, o para sempre realmente não acaba. Porque tudo é para sempre. Cada minuto é eterno. Eu estou aqui agora, curtindo os primeiros minutos da quinta-feira 16 de agosto, digitando um texto todo trabalhado na mais pura filosofia barata e ouvindo a música de Amélie Poulain no Repeat. Pronto. Isso é para sempre. Os anos vão se passar e o mundo vai girar, mas o fato é que para sempre eu estarei fazendo exatamente isso, nessa exata hora e nesse exato contexto. Tudo é para sempre no tempo-espaço em que ocorre. E isso é intensidade. E não tempo.

13

Para Sempre existe sim. E tudo é eterno. Enquanto durar.

18 comentários:

  1. Véi, na boa... Não sei o que comentar. Acho que você conseguiu resumir em um texto um dilema que eu enfrento há anos. Talvez o maior dilema da minha vida. Você é foda, apenas. Te abooo, beijos!

    ResponderExcluir
  2. bem claro, o para sempre que acontece aki nesse momento.. sera pra sempre .. isso! eu estarei para sempre lendo seu texto a 00:45 do dia 16/08/12 .. qndo for falar desse minuto com meus netos, direi que li esse texto. isso eu direi em qualquer ano.. direi em qualquer dia.. talvez, mto, pouco, mas direi isso para sempre.

    ResponderExcluir
  3. Três coisas:
    1) Alguns infinitos são maiores que outros infinitos. A gente poderia juntar essa frase na sua brilhante problematização do pra sempre, podendo dizer que embora o pra sempre seja eterno dada a sua intensidade, os infinitos também adquirem particularidades de extensão maiores ou menores dependendo de sua intensidade, ou seja, do quão sempre é esse pra sempre infinito.
    2) Morri pra sempre: aguardo teorias
    3) tô te amando pra sempre

    ResponderExcluir
  4. Arrasou, amiga! Esse seu texto ficou tão intenso, tão "pra sempre", sabe? E concordo. Nunca acreditei muito nessa história de que "sempre acaba". É tipo aquela história de que se acabou, não era amor. CLARO que era amor! Enquanto durou, foi sim! E talvez tenha sido mais forte do que os próximos que possam surgir.

    Enfim, divou muito no post.
    Te amo! <3

    P.S: Cadê o link de A Bela e a Fera no You Tube? Se eu não assistir você vai me odiar. PRA SEMPRE. OOOOOR

    ResponderExcluir
  5. É... finitudes acabam. O resto, é infinito!
    ;)
    Beijocas

    ResponderExcluir
  6. É, bem que você disse no Whatsapp que achava que eu ia gostar do seu post novo. Tô desde oito horas da manhã esperando pra chegar em casa e ler isso. Amei, amiga. Amei para sempre.
    Acho que nunca parei pra pensar exatamente nesse jeito, mas vivo filosofando sobre como as coisas são eternas simplesmente por estarem acontecendo nesse exato momento. Sabe? Não vão mais mudar. Estarão sempre vivas num lugar chamado passado - que pode muito bem ser presente e futuro, se a gente decidir continuar fazendo, mas, ainda assim, eternas. E é aí que existe a beleza da coisa toda.

    Te amo!! <3

    ResponderExcluir
  7. Pra mim o pra sempre tem a ver com os momentos bons que eu sei que foram bons e que não vão voltar mais!
    Adorei!
    Beijos e bom fds!

    ResponderExcluir
  8. Ana Luisa,

    Que brainstorm esse texto! Mas olha, eu adorei! E acho qur tudo o que você falou faz sentido. O que passou foi para sempre enquanto durou e não muda o que foi sentido e vivido.
    O que acontece agora é para sempre e será para sempre enquanto durar. Sempre é advérbio de intensidade, como você disse! Aliás, adorei a aulinha de português :D

    Belo post!!!

    Beijos,

    Michas

    http://michasborges.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. AnaLu,

    Penso que já lhe disse que amo os seus textos filosóficos.
    Quando os leio fico refletindo,refletindo e me deliciando com suas conclusões.
    Amei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. 17 de agosto de 2012, meia-noite e um pouco. Os gatos foram embora e os CS que lembram corações abstratos também me lembram rajadas de vento (pelo menos é assim que eu as desenho). Vento pode ser intenso, mas não é pra sempre. Ou será que é? Do seu ponto de vista, no instante em que passou ele foi eterno. Pra mim ele foi eterno se modificou algo, se deixou alguma marca - boa ou má - em mim. Porque daí, Bananalulis, o instante dele não acaba.

    Minhas filosofias são tão estranhas!

    Lindo o seu post, meu pedaço de aurora sal-ti-tan-te.
    E eu estava com muita saudade daqui, mas sou geniosa! Só apareci depois que os gatos sumiram rs <3

    ResponderExcluir
  11. "Simplesmente se ama o máximo que se pode amar."

    Eu gosto de falar que amo para sempre. Para sempre enquanto durar. Não vejo o futuro, e como tu disse posso descobrir um dia que não amo mais.
    Até lá estarei amando para sempre...

    Aliás, te amo pra sempre, forever and ever. <33
    Beijo Amor de Analu.

    ResponderExcluir
  12. Lindo o texto, gosto muito do seu jeito de pensar (que é muito parecido com o meu). <3

    ResponderExcluir
  13. Que lindo seu texto, Aninha! Eu torço pra conseguir ser pra sempre em todos os meus minutos. Às vezes é difícil e falta a energia, mas - quando a gente consegue - como vale a pena! Estou te admirando pra sempre agora, flor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Analu, estou lendo esse teu texto para sempre...

    ResponderExcluir
  15. Essa mocinha anda tão amadurecida e inspirada... que orgulho de ver. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Analu, tudo bem?
    Saiba que esse texto eu achei sensacional! E que esta página já está nos meus favoritos, vez ou outra venho aqui e leio! Porque você conseguiu explicar o que eu penso sobre isso da melhor maneira possível!
    E falo sério, já o li INCONTÁVEIS vezes.
    AMEI!!! *-*

    ResponderExcluir